Blog

A saúde das empresas são as pessoas e o caixa

Em época de Coronavírus (COVID-19) confira algumas dicas da Ema

André Marchioro
CEO Ema | Pessoas e negócios
com propósito me fascinam
20 Março 2020 | Sexta-feira 15h15

Uma pessoa quando está doente, apresenta sintomas em seu corpo, seja nos olhos, pele, suor, emoções e até mesmo nas sensações, dentre tantos outros.

E uma empresa
como demonstra sinais
de doenças? 
Com o episódio do COVID-19 quero provocar uma reflexão da vida real com o mundo dos negócios. Hoje estamos em busca de medidas preventivas para combater o vírus, e vamos levar muitos ensinamentos por conta dessa situação. Mas tratando-se de uma empresa, muitas delas adoecem por falta de caixa, perda de profissionais importantes, falta de dinheiro em caixa, custos elevados. Mas, uma pessoa jurídica ser infectada por um vírus biológico, é a primeira vez.

Pessoas
  • Pessoas felizes produzem melhor, pessoas certas nos lugares certos realizam mais, cultura organizacional e programas de gestão de pessoas engajam e mantém o clima harmonioso, colaborativo, funcional, com resultados normalmente positivos.
  • Os sintomas geralmente são rotatividade de colaboradores (turnover), com reclamações nas pesquisas de clima, produtividade baixa, conflito entre colaboradores, reuniões para discutir os mesmos assuntos, falta de interesse da equipe na busca de melhoria contínua, sensações de que determinado colaborador não deveria mais fazer parte da empresa. Ao final de cada dia o patrão sai de cabeça baixa, sem saber o que fazer, e do outro lado, o colaborador diz graças a Deus terminou o dia, sendo que o objetivo dos dois poderia ser o mesmo, crescer e ter mais qualidade de vida. Porém, devido a uma miopia em gestão, afasta o foco de ambos e as coisas não ficam claras.
 
Caixa 
  • Uma empresa com caixa alto investe em inovação, monta grandes times, investe em marketing, está sempre evoluindo seu mix de produtos, a logística funciona, a empresa cresce, os colaboradores crescem, e os problemas são administráveis. 
  • Os sintomas aparentes sobre o caixa são empréstimos financeiros com juros altíssimos, desconto de duplicatas, falta de gestão do ponto de equilíbrio da empresa, má gestão de estoques, custos e formação de preços que afetam diretamente a margem de contribuição. E quando falta dinheiro a tendência cultural no Brasil é contratar consultores, sendo que alguns não tem visão holística, atuando apenas em um ponto específico sem que haja uma melhoria no sistema de gestão e ganhos. Tudo isso impacta na última linha do D.R.E. e nos fluxos de caixa, culminando em uma recuperação judicial ou até mesmo falência.
Bom. Se alguns destes termos usados não foram compreendidos ou você já tinha conhecimento mas não mede na sua empresa, pode ser um sinal que você já está infectado. Uma hora ou outra, o sistema imunológico da sua empresa será afetado.

 
Cultive a saúde da empresa
com um bom modelo de gestão
Uma pessoa física quando quer melhorar sua saúde ela procura uma nutricionista, segue á risca uma alimentação saudável, faz exercícios, sendo que algumas buscam um personal training para conquistar resultados ainda melhores.  

Após 15 anos como empresário, e tendo contato com muitos empresários de sucesso, posso afirmar que a melhor forma de cultivar uma empresa saudável é ter um modelo de gestão bem definido, com um negócio claro, uma marca forte, visão, missão e valores bem definidos, aliado a um bom planejamento estratégico. E que tudo isso seja legível, compreendido por todos os níveis organizacionais, desde o estratégico ao operacional, e que tudo esteja focado no sucesso dos clientes.
 
Mas André, qual o modelo de gestão é o ideal?
Existem vários que deram (e ainda dão) certo, que são: Democracia, Meritocracia, Autoritária, por Cadeia de valor, dentre outros. Eu particularmente acredito no GEMA (clique aqui para conhecer). É um modelo de gestão de negócios criado dentro da Ema e aplicado em empresas que criam paralelamente valores diversificados para todas as partes interessadas como acionistas, colaboradores, governo e sociedade, e gera benefícios holísticos financeiro, mental, emocional, social, cultural, filosófico e ético.

A base deste modelo é o Capitalismo Consciente. Ainda é um paradigma em desenvolvimento no mundo empresarial e para alguns empresários ainda utópico. Nele os negócios não se restringem apenas à geração de lucro, mas sim em valores de bem-estar social, firmados em 4 pilares: Propósito, Orientação, Liderança e Cultura.

A figura abaixo é usada na Ema para demonstrar, a quem nos visita, o nosso modelo de gestão que expressa nossa consciência, seja no cultivo, nos cuidados e na educação constante e voltados para estes princípios.
 
Impactos do COVID-19
em uma empresa consciente?
Ao perceber o que estava acontecendo no mundo, convocamos uma reunião de líderes para debatermos os assuntos e os impactos em toda nossa cadeia, tentando nos colocar no ponto de vista dos principais stakeholders do nosso negócio: Acionistas, Colaboradores, Unidades de Negócio, Clientes, Governo e Sociedade. Ao percebermos os impactos, olhamos para nossas diretrizes estratégicas e a decisão foi antes mesmo de o governo brasileiro se posicionasse, tínhamos que tomar uma decisão consciente, que preservasse a saúde de nossos colaboradores e que não prejudicasse os interesses de nenhum de nossos clientes. E assim gravamos um vídeo para comunicar nosso real sentimento.
 

Após fazermos este comunicado para cuidar do nosso maior ativo que são as pessoas, fomos cuidar da outra parte vital da empresa, o caixa. Analisamos o orçamento e imediatamente cortamos todo tipo de despesa e investimentos que seriam feitos. Ficamos antenados nas notícias do governo e novas ações para pensar novos cenários. Também ficamos antenados nas ofertas de crédito do mercado, e projetamos 3 cenários de fluxo de caixa até o final de 2020, e para cada cenário estabelecemos ações e decisões a serem tomadas.

Mas, o desfecho da história agora depende do que vai acontecer no mundo externo. O que estava sob o nosso controle foi feito e continuamos trabalhando, aprendendo e vivenciando este momento histórico de humanidade.
 
Conclusão
Ter um modelo de gestão bem definido, com um sistema de gestão preparado, líderes aplicando gestão, gerenciando seus indicadores em tempo real para tomada de decisões e descoberta de novas oportunidades e ameaças, é o melhor investimento que uma empresa pode fazer para se manter saudável e sustentável. 

Saliento que este home office será diferente de quando estivermos em momento normais, não uma Pandemia, precisamos estar conscientes que a produtividade vai cair, que saibamos ser tolerantes, que não podemos cobrar a mesma produtividade e metas quando todo mundo está passando por medos e incertezas. Reforcei aos líderes para olharem com carinho o lado humano da gestão neste momento tão delicado.

O que escrevemos aqui, é o que vivenciamos diariamente na Ema. Se você gostou desse conteúdo e ficou curioso para conhecer, pode vir nos visitar. Agende um horário e teremos o maior prazer em compartilhar experiências e contar porque somos Muito mais que software.